Liberdade de pensamento #2

Com a rubrica Liberdade de pensamento pretendemos dar-vos a conhecer a nossa opinião sobre diversos conteúdos.

Nesta edição, falamos do jogo Katana: Samurai Action Card Game que teve uma campanha de Kickstarter a decorrer o ano passado, estando prevista uma segunda edição do jogo.

Fomos contactados diretamente pelo criador do jogo, Tracy Alan, que nos enviou uma cópia física do seu jogo para podermos experimentar e dar a nossa opinião.


Katana: Samurai Action Card Game

Imagem Oficial - Katana



Jogo: Katana: Samurai Action Card Game

Autor: Tracy Alan

Jogadores: 2

Tempo: 15-30 min

Dependência de idioma: Sim

Página oficial: https://www.katanacardgame.com/


A primeira batalha

O jogo foi-nos enviado desde o outro lado do oceano, demorando apenas cinco dias a chegar a Portugal. Vindo desde os Estados Unidos, fez uma viagem tranquila. O que não se esperava é que depois de chegar a Portugal demorasse mais do dobro desse tempo a sair das instalações e chegar à nossa mesa. Parou na alfândega e surpreendeu porque no seu conteúdo não estava uma verdadeira Katana em miniatura, mas sim um jogo de cartas com o mesmo nome! Nessa altura foi finalmente libertado das instalações. Afinal não havia nenhuma razão para o terem apreendido...


A história nos bastidores

Sendo o autor apaixonado pela cultura e história japonesa, Katana retrata o caminho de dois samurais que batalham com o desejo de se tornarem shōgun (comandante supremo do exército do Japão). Uma partida termina quando um jogador consegue eliminar toda a Armadura e Saúde do samurai adversário.

Imagem Oficial - Katana na mesa


Falando dos componentes

A versão do jogo que nos foi enviada é a versão do jogo para retalho, sendo essa a versão que vamos avaliar. Durante a campanha em Kickstarter o jogo esteve também disponível em outras versões.


Cartas

As cartas de jogo possuem uma arte bonita e uma iconografia simplista, tornando visualmente percetível o objetivo de cada uma delas. São agradáveis ao toque, tendo uma qualidade que consideramos muito boa. O acabamento das cartas também é de boa qualidade, permitindo que as cartas deslizem bem (tanto na mesa como entre si). Isto faz com que se tornem fáceis de baralhar.


Ação (50) | Divindade (12) | Santuário (24) | Saúde (10) | Armadura (12)


Peças adicionais

Existem peças de jogo adicionais que representam Poluição e Ataque, não estando incluídas no jogo nem sendo obrigatórias para jogar. Gostamos bastante destas peças, sendo muito mais prático utilizá-las em substituição das cartas que existem para o efeito. Poderiam, no entanto, ser de um cartão mais grosso ou de madeira.


Poluição (5) | Bónus de Ataque (5)


Caixa do jogo

Para nós a caixa de jogo é um elemento que merece tanta atenção como os restantes componentes. A apresentação da caixa em termos de ilustração e informação que contém é igualmente boa. Contudo, é feita de um material frágil, fazendo com que as abas possam danificar-se. Após algumas jogadas, a nossa caixa começa a notar sinais de uso no centro da aba superior – e podemos garantir que tratamos os jogos sempre com o devido cuidado. Outro aspeto que poderia ser melhorado é o tamanho da caixa, considerando que os manuais e as peças adicionais não cabem no seu interior.


Frente | Verso | Topo


Quebrando as regras

Para além de um manual de regras, Katana também possui um manual com exemplo de jogo extenso, ambos com boa qualidade. Na generalidade, as regras estão bem explicadas, principalmente porque podem ser complementadas com o exemplo de jogo que ajuda a visualizar como colocá-las em prática. Ainda assim, decidimos questionar o autor com uma ou outra dúvida na primeira jogada, que prontamente foram esclarecidas.


Manual de Regras | Exemplo de Jogo


Preparação do jogo

A preparação do jogo é simples e rápida, cada jogador vai ter acesso a cinco cartas de Ação do topo do baralho e uma carta de Divindade (que escolhe de entre três). De acordo com o diagrama na carta de Divindade, cada jogador organiza a sua Saúde e correspondente Armadura.


Preparação do Jogo


Visão geral

O jogo decorre em turnos alternados compostos por três passos: repor o número de cartas de Ação na mão para cinco, escolher e executar uma Ação e, opcionalmente, designar uma carta que pode ser usada no turno seguinte do adversário. Esta apenas é usada em seu benefício se o oponente atacar no turno seguinte, caso contrário será descartada.


Atacar o adversário

Para atacar selecionamos uma carta da nossa mão que apresentamos ao adversário. Por sua vez, o adversário pode escolher apresentar uma carta para sua defesa. Por cada carta de Defesa que o adversário jogue, podemos apresentar uma nova carta de Ataque.


O oponente pode não apresentar carta de Defesa, sendo um Ataque bem sucedido que resulta em dano na totalidade do Ataque. Neste momento, o turno termina e não é possível continuar o Ataque. Em vez de carta de Defesa, o oponente pode jogar uma carta de Poluição e realizar o seu efeito.


Apesar de poderem existir múltiplos ataques ao adversário no mesmo turno, não é permitido atacar com múltiplas cartas em simultâneo. De igual forma, não é possível defender com múltiplas cartas ao mesmo tempo.


Cada Ataque está direcionado apenas para a linha mais acima do diagrama de Saúde e Armadura do oponente e remove um item por cada ponto de Ataque não defendido. Apenas pode ser removida Saúde quando toda a Armadura em cima dessa Saúde for eliminada. Uma vez derramado sangue, considera-se que a Divindade fica poluída e com necessidade de se purificar, obtendo uma peça de Poluição e terminando o turno.


Atacar o adversário


Purificar uma Divindade

Cada carta de Divindade apresenta duas habilidades: uma passiva que pode ser usada continuamente e outra ativa que apenas pode ser usada quando ativada explicitamente por uma carta de Purificação.


O ato de Purificar pode ser utilizado para três efeitos: ativar a habilidade de uma Divindade, remover uma peça de Poluição associada a uma Divindade ou invocar uma nova Divindade caso o jogador não tenha nenhuma na sua área de jogo.


Sempre que é jogada uma carta de Purificação é necessário buscar e aplicar o efeito de uma carta de Santuário.


Purificar uma Divindade


Iniciar um Kamikaze

Uma Divindade pode ser sacrificada para efetuar um Ataque ao adversário com o valor indicado na própria carta, podendo ser adicionados bónus de Ataque. Habilidades de reflexão utilizadas pelo oponente, não refletem um Kamikaze como se fosse um Ataque normal mas anulam o seu efeito. Uma grande diferença do Kamikaze para um Ataque tradicional, é que não são permitidos quaisquer Ataques subsequentes após reação pelo adversário.


Quando é usada uma carta de Purificação para invocar uma nova Divindade, deve ser sacrificada uma Armadura como parte da ação. Não sendo possível quebrar uma Armadura, não é possível também invocar uma nova Divindade. Se uma nova Divindade é invocada com sucesso, a Saúde e Armadura do samurai em questão deve ser reorganizada de acordo com o diagrama indicado na carta.


À semelhança do que acontece com as cartas de Purificação, é necessário buscar e aplicar o efeito de uma carta de Santuário após efetuar um Kamikaze.


Iniciar um Kamikaze


Poluir uma Divindade

As cartas de Poluição servem para o efeito oposto das cartas de Purificação. Durante o nosso turno podemos usar estas cartas para negar ao oponente um bónus de Ataque ou para Poluir a sua carta de Divindade.


Uma carta de Poluição pode ser utilizada quando estamos a ser atacados mas não serve como defesa. Contudo, ajuda a enfraquecer a Divindade do adversário e força o final da batalha.


A primeira carta de Poluição desabilita a habilidade ativa da Divindade enquanto a segunda desabilita a sua habilidade passiva. Assim que uma carta de Divindade tenha associadas três cartas (ou peças) de Poluição é destruída e removida de jogo.


Poluir uma Divindade


Buscar carta de Santuário

Sempre que se joga uma carta de Purificação ou se inicia um ataque de Kamikaze, o jogador tem de buscar e aplicar o efeito de uma carta de Santuário.


Também é possível buscar e aplicar o efeito de uma carta de Santuário enquanto ação deliberada pelo jogador no seu turno de jogo. Estas cartas permitem efeitos adicionais que tanto podem ser bons como maus para o jogador afetado.


Buscar carta de Santuário


Descartar cartas de Ação

Em vez de executar a ação de uma carta, o jogador pode escolher descartar quantas cartas de Ação quiser da sua mão e repor o mesmo número de cartas, ficando com uma mão de cinco cartas ao terminar o seu turno.


Descartar cartas de Ação


Opinião geral

De uma forma geral, podemos afirmar que o conceito do jogo está interessante e diferente do que estamos habituados no que toca a jogos de cartas. Este é um jogo exclusivo para dois jogadores e, como jogamos maioritariamente a dois jogadores, esse é um aspeto que valorizamos.


A preparação do jogo é rápida e o próprio jogo está pensado para um intervalo de tempo curto, o que faz com que seja adequado para quando temos pouco tempo para jogar ou para levarmos à mesa entre dois jogos mais extensos. É também um jogo que pode ser levado em viagem por ser compacto, tendo sido uma das nossas escolhas para levar recentemente para um fim de semana "fora de casa".


Podemos recomendá-lo para quem gosta de jogos curtos e de poderes assimétricos, uma vez que cada Divindade tem as suas próprias habilidades especiais. Isso faz com que cada jogo seja parcialmente diferente porque os samurais fazem uso destas habilidades únicas para benefício próprio durante os seus turnos. Outra coisa que gostamos nas Divindades são os valores pessoais que estas têm associados (como sabedoria, agilidade, ...) que se integram por completo no tema e história do jogo.


O facto de a mesma carta poder ter várias funções é bem pensado, permitindo ter capacidade de ataque, defesa e preparação do turno seguinte. Como em qualquer batalha podem existir golpes de sorte ou azar, a introdução das cartas de Santuário faz uma boa representação disso mesmo.


No que toca aos componentes, devemos referir que a qualidade das cartas nos surpreendeu positivamente, considerando-as muito boas. Sem dúvida que a qualidade dos componentes é dos aspetos que mais apreciamos num jogo e gostaríamos de ter na nossa coleção uma versão deste Katana: Samurai Action Card Game com uma caixa reforçada e peças de madeira.


Quanto à caixa, estiveram disponíveis em Kickstarter outras versões do jogo cujo material aparenta ser mais resistente. Também existiram peças de madeira a representar os pontos de Saúde e Armadura dos samurais. Existindo novamente essa possibilidade para venda, teremos todo o gosto em adquirir uma cópia em versão mais sofisticada, uma vez que gostamos do jogo.


De agora em diante estaremos atentos ao trabalho deste autor que conhecemos através do Katana. Resta-nos aguardar por novos jogos de Tracy Alan, sabendo desde já que existem outros projetos em desenvolvimento.



#MeepleOfLiberty

#StayConnected

#BoardGames

#JogosDeTabuleiro

#JuegosDeMesa

#JeuxDeSociété

#BrettSpiele

#GiochiDaTavolo